Número total de visualizações de página

quarta-feira, 25 de abril de 2018

Dia 4 de Trabadelo até Sarria

O albergue onde ficamos era muito bom, e tivemos uma bela noite pra descansar e dormir bem. Isso era essencial para a etapa rainha de hoje.
Tínhamos 10 km após iniciar o caminho para fazer o aquecimento, antes de começar a subida ao cebreiro. Como estava frio  custou a ganhar ritmo e devagar fomos percorrendo os kms iniciais.  De nada serviu o aquecimento, pois assim que tínhamos começado a subir, ainda não tinham decorrido nem 100 metros, rebentei com a corrente da minha bicicleta. Fiquei desolado, e naquele momento não sabia se íamos conseguir continuar. Nunca me tinha acontecido uma coisa destas, e apesar de ter a ferramenta necessária, era um desafio consertar a corrente.  Deitamos mãos à obra e após algumas tentativas  lá conseguimos reparar a corrente, principalmente com a  ajuda do Joaquim.
Neste percalço  perdemos muito tempo, e começamos a subir cheios de frio. A subida para o cebreiro foram cerca de 9km, muito duros, em constante subida, sem possibilidade de dar descanso às pernas. Fizemos a subida pela estrada, pois a minha bike não estava operacional a 100%.  Quando estávamos mesmo a chegar ao topo do cebreiro, o tempo mudou drásticamente e passou de sol, para nevoeiro cerrado, muito frio e vento. Ainda avistamos bocados de neve, sinal que estávamos a grande altitude.
Depois de carimbar a credencial  iniciamos a descida até Tricastela onde fomos almoçar com 40km percorridos.  Depois de almoçar fomos em busca de uma loja de bicicletas pra conseguir arranjar a minha bicicleta. Chegamos a Sarria e encontramos a loja de bicicletas. Após estar operacional  íamos iniciar novamente o caminho, mas encontramos um albergue que nos fez concordar em ficar por aqui por hoje. O dia  terminou com 60 km, e agora faltam apenas 114km para Santiago.





Sem comentários:

Enviar um comentário