Número total de visualizações de página

terça-feira, 24 de abril de 2012

Dia 11- de Pedrouzo até Santiago de Compostela. A chegada!




zzzzz....zzzzz... Assim começou o dia.

Não preparei o despertador para a hora acordada pois tenho acordado sempre muito antes da hora..mas hoje, dormi, dormi e teve de ser o Castro a acordar-me para nos fazermos á ultima etapa.
Levantei-me a correr e toca a preparar pra caminhar.

Nem tive tempo de ver como estava o tempo e saí preparado para a chuva... mas hoje o dia começava com um sol a querer marcar presença.

Já no caminho,faltavam percorrer os 20,3km que nos separavam de Santiago.









Estávamos com cerca de uma hora de andamento e parei para tirar o equipamento da chuva pois o tempo estava a aguentar-se e aproveitei também para sacar mais umas fotos pelo caminho que continuava belo.

Na memória, tinha ainda bem presentes quase todas as subidas que já tinha feito á 2 anos de bicicleta no caminho francês...a rebocar o atrelado e por isso sabia que ainda íamos ter de suar um bocadinho...

Quando se está a chegar ao Monte do Gozo, sente-se uma verdadeira onda de euforia e saboreamos uma primeira sensação de vitória.




Lá em baixo, a cerca de 5 km, está o destino á muito desejado.

As pernas caminham como se voassem, as dores nos tendões dos pés que me vinham a morder os calcanhares nos 2 últimos dias desapareceram e até a chuva que começava a cair, miudinha, sabia bem a bater na cara pois não era suficiente para obrigar a vestir de novo o impermeável.


Tínhamos planeado chegar a tempo da missa do peregrino que se realiza todos os dias ao meio dia e chegamos a Santiago mesmo a queimar...




Assistimos á missa e ainda tivemos a bençao do bota fumeiro, uma coisa que me deixou arrepiado e impressionado pela intensidade do momento.





Já cheguei várias vezes a Santiago, mas existe sempre algo de novo, algo que nos faz querer voltar ao caminho.

Este Caminho Primitivo deixou-me de rastos. Foi a minha estreia em caminhadas e comecei logo com um dos Caminhos mais exigentes.

Aos meus companheiros do Caminho, nos mais de 340 km que palmilhamos juntos, agradeço toda a paciência e toda a ajuda que me deram.

Foi uma excelente partilha de conhecimento e uma experiência a não esquecer.Obrigado!

Alguém consegue imaginar a minha cara de satisfação neste momento?
Perfil da etapa- Via Endomondo

segunda-feira, 23 de abril de 2012

Dia 10, de Melide até Pedrouzo

Penúltimo dia, começou com a saída do albergue debaixo de chuva. 

Esta noite foi um pouco mal dormida, apesar de o albergue ter muito boas condições...devo ter estranhado a cama...nem parece meu.

Uma vez mais, a maquina fotográfica ficou na mochila, até que o sol resolvesse aparecer...mas não chegou a aparecer o tempo suficiente para a tirar de lá.







O ritmo era de passeio e a primeira paragem aconteceu em Arzua para tomar o pequeno almoço por volta dos 13 km.

Após uma breve paragem,  retomamos o caminho.


Começamos a recordar alguns dos sítios por onde já tínhamos passado anteriormente no final do caminho francês...é uma sensação muito boa "regressar a casa".







Hoje durante o caminho já passamos por dezenas de peregrinos e imensos albergues.

Realmente o caminho francês é um serio caso de sucesso comercial.

A etapa acabou com 37,5km em Pedrouzo no albergue publico.

Aproxima-se o grande dia...é já amanhã!

Perfil da etapa- Via Endomondo

domingo, 22 de abril de 2012

Dia 9- De San Roman da Retorta até Melide

O dia hoje amanheceu com um sol tímido...mas pelo menos era um amanhecer diferente....pois não chovia.

Tomamos o pequeno almoço no albergue e saímos para o caminho.






A etapa de hoje seriam 29,8 km, mas seriam para percorrer em ritmo de pára, tira foto, recomeça, tira foto, e assim por diante.

Os kms da tirada de ontem fizeram mossa e por isso hoje a etapa era para descontrair e aproveitar...ou como diria uma colega...relaxa e goza!













As paisagens convidavam a um olhar mais atento e os kms foram ultrapassados calmamente e até passamos por uma queijaria artesanal.

Um dado curioso foi que hoje durante o percurso por varias vezes tivemos a companhia de amigos de quatro patas.




Assim que nos viam, vinham "dar-nos as boas vindas" e em troca apenas pediam umas festas na cabeça. Eram verdadeiros embaixadores destas pequenas localidades por onde passávamos.

A chuva ainda ameaçou por duas vezes durante a manha, o que nos levou a vestir o impermeável, mas só iria começar a chover mesmo no final da etapa já a chegar a Melide...mas ainda deu pra molhar qualquer coisa.

O caminho primitivo já terminou.


Sim é verdade.

A partir deste momento para chegar a Santiago de Compostela faltam cerca de 55 km que serão percorridos ao longo do caminho francês.

Chegamos ao albergue e depois de fazermos o check in fomos até ao centro da cidade para jantar o belo e bastante recomendado Polvo, acompanhado pelo também popular caldo galego.





O jantar não podia ser demorado pois o horário de entrada no albergue era ate as 22, por isso foi jantar e regressar ao quartel general...onde já estava tudo a bater um ronco...no verdadeiro sentido da palavra.

Este albergue já não tem nada a ver com os outros por onde temos passado.
Este albergue é enorme e por isso aqui somos apenas mais um peregrino.

Nos outros albergues anteriores havia um quase espírito de irmandade que espero que não tenha terminado.

Desde que comecei a percorrer os Caminhos de Santiago, tenho bem presente uma frase que li afixada num dos primeiros Caminhos: Sin Dolor, no hay glória....e é uma grande verdade.

A dor está bem presente...mas a glória já não tarda!

Perfil da etapa- Via Endomondo