Número total de visualizações de página

sábado, 30 de abril de 2016

Dia 6- de Melide até Santiago de Compostela

O dia começou com sol e prometia assim continuar.A saída de Melide foi rápida e os km foram passando tranquilamente. O caminho está repleto de peregrinos, de turistas e é difícil passar de bicicleta. A campainha da bicicleta vai tocando, não para pedir licença para passar, mas para avisar que estamos a passar. Nem sempre este convívio se mostrou muito salutar. O cumprimento entre peregrinos dos dias anteriores, parece já não ter grande significado e alguns peregrinos parecem até incomodados porque vamos de bicicleta e vamos chegar primeiro a Santiago. Por isso, e por respeito a quem caminha, os km para nós vão passando mais devagar, para não atrapalhar quem vai a caminhar e vamos nós no nosso caminho.
Fizemos uma paragem a 28km de Santiago, para comer o último bocadillo do caminho e repousar um pouco.
Novamente no caminho, continuamos a pedalar sem pressa e por isso, foi até quase fácil chegar ao Monte do Gozo.
Acho que de todas as vezes que fizemos esta parte final do caminho, esta foi a vez que nos custou menos. A resposta acho que está nos 3 primeiros dias de caminho, muito duros, que nos fez andar várias vezes nos limites das forças, quer fosse a pedalar, a fazer força para nos equilibrar em cima da bike ou até mesmo a carregar a bike ás costas.
Após a sessão fotográfica, fizemos os últimos km até Santiago, acabando por lá chegar às 13h.
A praça do obradoiro continua ainda em obras, mas isso não retira beleza a esse momento. É muito bom chegar uma vez mais a Santiago. Foi um caminho de muita superação e que torna ainda mais especial esta chegada.
Ultreia!

Sem comentários:

Enviar um comentário