Número total de visualizações de página

domingo, 1 de outubro de 2017

Via de la Plata - Dia 1 Sevilha Até Real de la Jara

Começou a Via de la Plata.
Saímos do hostel as 08h em direção a Catedral para iniciar o caminho.
Quando lá chegámos, a enorme e imponente Catedral era o ponto que atraía todas as atenções.
Após carimbar as credenciais, fomos tomar o pequeno almoço ao Starbucks e em seguida iniciamos o já difícil costume que é orientarmo-nos no centro das cidades. Sevilha não é excepção, e a algum custo, lá conseguimos encontrar as setas.
Nos primeiros km do caminho, o percurso era plano  e tínhamos rectas a perder de vista, ladeados de campos de algodão. Um cenário muito bonito. Alguns kms depois, o percurso ficou mais técnico, e as rectas deram lugar às primeiras dificuldades do dia, as subidas.
A meio da manhã, parecia que estávamos a atravessar um deserto, por causa das temperaturas acima dos 30 graus, e também pelo terreno seco e árido. No meio desse deserto, apareceu uma tabuleta a dizer que a uns 20 metros do caminho, havia uma fonte de água. Veio no momento certo, pois a água que traziamos estava a acabar e aquela fonte parecia um oásis no deserto. Após o abastecimento retomamos o caminho com nova energia e continuamos a percorrer os trilhos, até que os trilhos terminaram e o percurso começou a seguir paralelo à estrada nacional.
Fizemos assim uns 10-15 km até pararmos para almoçar. Já não dava pra aguentar o calor. Almoçámos em  castilblanco de Los arroios uma bela carne assada e após o repasto,  foi difícil voltar ao caminho, já que  o calor estava a ser insuportável.
Pior foi que tivemos de fazer grande parte pela estrada, e o alcatrão até escaldava. 
Finalmente o caminho entrou na Sierra norte e deu origem a paisagens magníficas e conseguimos ter alguma sombra.
A primeira grande de dificuldade do dia, foi a subida do Calvário, impossível de subir, em que tivemos de empurrar a bike pelo monte acima.  Após atingir o topo,  começamos a descer para Almaden  de la Plata e ficamos indecisos se ficávamos ali a dormir, ou se fazíamos mais 14km até ao próximo albergue. Resolvemos continuar e o percurso continuou rápido e fantástico até chegarmos à segunda parede do dia. Outra subida para carregar a bicicleta às costas, esta ainda mais longa que a do calvário. Chegámos ao destino, El Real de la Jara com cerca de 85 km percorridos e muito cansaço acumulado.

Sem comentários:

Enviar um comentário